Categorias

Rapper desiste da carreira musical para resgatar e cuidar de gatos de rua

Marcella Blass
12 de Agosto de 2021


Crédito: Reprodução/Instagram/TrapKing

Sterling Davis, popularmente conhecido como Trap King, decidiu abandonar sua carreira no mundo da música para fundar um abrigo para gatos resgatados em Atlanta, na Geórgia (EUA). A inspiração veio depois que o rapper se candidatou a uma vaga de emprego em um abrigo da região – mas se dedicou mais à bicharada na sala do que à entrevistadora do RH.

Leia mais:
Monge budista dedica sua vida ao resgate de milhares de animais abandonados
Casal já resgatou mais de 12 mil cães abandonados e maltratados

“Eu fui horrível na entrevista porque tinham gatos na sala e eu estava brincando e beijando todos eles”, contou em entrevista ao TODAY. Apesar de não ter prestado muita atenção no pessoal do RH, o rapper conseguiu o emprego mesmo assim, por conta do apreço e da dedicação aos felinos presentes.

Sterling passou a ajudar a equipe do abrigo nas rotinas de TNR (trap-neuter-return), onde gatos da comunidade são capturados para serem vacinados e castrados e, depois, soltos novamente. Nesse dia a dia, contudo, o músico reparou em algo que chamou a sua atenção: não havia outros homens ou pessoas negras trabalhando no departamento de felinos.

Quer fazer trabalho voluntário? Clique aqui e encontre um com a sua cara

Essa percepção o inspirou a abandonar sua banda e a turnê para se dedicar em tempo integral ao resgate de gatos. Após cinco anos de trabalho no abrigo e treinamentos sobre as melhores práticas da atividade, o músico fundou a TrapKing Humane Cat Solutions, sua organização sem fins lucrativos.

Contudo, mais do que melhorar a qualidade de vida dos animais em situação de rua, ele tinha um objetivo muito maior. A proposta da ONG é trabalhar para mudar os estereótipos de homens no resgate de gatos e ser uma ponte entre as comunidades negras e as organizações de bem-estar animal – que são compostas, predominantemente, por pessoas brancas.

Desafios na jornada

Apesar do propósito nobre, o rapper teve que enfrentar algumas dificuldades para manter a ONG em funcionamento. Depois que suas economias acumuladas com a carreira musical acabaram, ele decidiu vender tudo o que tinha e comprou uma van que seria a sua nova casa. Assim, ele conseguiria continuar com os trabalhos da entidade.

Para chamar a atenção das comunidades locais, ele cobriu todo o seu veículo com adesivos do famoso TrapKing e rodou por bairros e complexos de apartamentos. O plano funcionou, e logo ele passou a ter apoio de muita gente e de projetos maiores – como a Atlanta Humane Society, que começou a esterilizar e castrar gratuitamente os gatos resgatados por Sterling.

Atualmente, o ex-rapper segue com seu trabalho voluntário e de conscientização junto à comunidade negra – ao lado de sua amiga felina Damita Jo –, viajando pelo país para participar de resgates e educar mais pessoas sobre as boas práticas de TNR. Para engajar ainda mais público para essa causa, TrapKing compartilha sua rotina em seu perfil no Instagram (@the_original_trapking). E, com certeza, vale a pena segui-lo!

Fonte: TODAY

GUIA DO VOLUNTARIADO

Receba com exclusividade nosso e-book sobre voluntariado.

ACESSAR O E-BOOK

© 2021 Todos os direitos reservados - Busca Voluntária - website by: plyn!

Subir