Categorias

Burnout: veja como driblar este mal e atingir o bem-estar no trabalho

Da Redação
14 de Maio de 2021


Crédito: Anna Tarazevich no Pexels
burnout

Em meio à pandemia de covid-19, empresas tiveram que diminuir seus custos para conseguir sobreviver. A redução do quadro de funcionários é uma consequência direta disto. Assim, muitos profissionais acabam sendo sobrecarregados. É neste momento que se pode observar queda na produtividade, estresse e sintomas da síndrome de Burnout.

Segundo o relatório The State of Burnout, produzido em 2020 pela Blind, 73% dos trabalhadores afirmaram sofrer com a síndrome. Os principais motivos que desencadeiam o Burnout são: não ter separação entre as vidas profissional e pessoal (27%), carga de trabalho incontrolável (20,5%) e preocupações com a segurança no emprego (19%).

O problema é que nem sempre é fácil notar a aparição da síndrome. “O Burnout não é algo específico como uma doença, que é possível identificá-la logo nos primeiros sintomas. Ele começa com a ausência de disposição. Com o passar do tempo, vão surgindo manifestações físicas e psicológicas , como pressão alta, insônia e dor de cabeça”, aponta Rebeca Toyama, especialista em estratégia de carreira.

Leia mais:
Pandemia: saiba como preservar sua saúde física e mental
Conheça 5 plantas medicinais para prevenir e tratar desconfortos
No YouTube, hipnólogo te ajuda a reduzir estresse e ansiedade

Como atingir a felicidade no trabalho

De acordo com o relatório World Happiness Report 2021, elaborado pela Gallup World Poll, a covid-19 afetou a felicidade, a saúde mental, as conexões sociais e os ambientes de trabalho. Dentro do último tema, a pesquisa aponta que os trabalhadores passaram a valorizar a flexibilidade de tempo e de localização. Por outro lado, o home office afetou a comunicação com os gestores.

A falha na conexão entre funcionário e supervisor, no entanto, não é uma consequência criada pelo home office. O trabalho remoto apenas colocou o problema em evidência. Segundo Rebeca, antes mesmo da pandemia, muitas empresas não cultivavam ambientes que promovessem o bem-estar para os colaboradores. Só que esta estratégia é justamente um dos fatores que reduzem o Burnout.

Bem-estar é um dos principais geradores de motivação na equipe. Profissionais satisfeitos elevam suas produtividade e dedicação e, consequentemente, entregam melhores resultados. “A felicidade no trabalho começa quando o colaborador consegue entender a importância de seu papel na empresa e enxerga que seu trabalho está alinhado com algo maior, como seu propósito de vida”, ressalta Rebeca.

Quer fazer trabalho voluntário? Clique aqui e encontre um com a sua cara

4 dicas práticas para evitar o Burnout

  1. No final do dia, anote seu pior e melhor momento na jornada de trabalho. Assim, você terá uma lista de estressores e promotores de bem-estar revelados.
  2. Semanalmente analise sua lista e descubra quais estressores estão afetando seu desempenho. Verifique quais deles estão relacionados à escassez de tempo ou ao recurso material. Depois, busque estratégias para solucionar esses problemas.
  3. Os demais estressores, provavelmente, estarão ligados aos relacionamentos. Aqui, a reflexão é mais profunda e a solução mais complexa. O primeiro passo é entender o motivo que leva estas pessoas terem influência sobre sua qualidade de vida.
  4. Por fim, gaste um tempinho analisando sua lista de melhores momentos. Ela te mostrará o que lhe dá prazer na rotina. Estas pequenas alegrias podem servir como um guia que te levará ao encontro do bem-estar – e longe do Burnout.

© 2021 Todos os direitos reservados - Busca Voluntária - website by: plyn!

Subir