Warrior Award: conheça todos os vencedores do prêmio solidário da WWE

Bianca Bellucci
30 de Novembro de 2018


Crédito: Reprodução/WWE
vencedores-warrior-award-wwe

A WWE é considerada a maior empresa de luta livre do mundo. Com transmissão de shows para mais de 180 países e uma legião de fãs, a companhia homenageia os grandes nomes do entretenimento todo ano em seu Hall da Fama. Na ocasião, um prêmio solidário também é entregue.

O Warrior Award tem o objetivo de coroar pessoas comuns que lutam com a mesma perseverança e coragem daqueles que entram no ringue. O nome do prêmio é uma homenagem ao super astro Ultimate Warrior (foto), que fez parte do vestiário nas décadas de 1980 e 1990 e batalhou contra um câncer.

No álbum, você confere todos os vencedores do Warrior Award e conhece um pouco mais sobre a história que levou a WWE a escolhê-los para o prêmio.

  • Crédito: Divulgação
    2015: Connor Michalek – Primeiro indicado ao Warrior Award, “The Crusher”, como é mais conhecido, tinha 3 anos quando foi diagnosticado com câncer no cérebro. Fã de luta livre e de Daniel Bryan, o garoto faleceu em 2014. Na premiação, o troféu foi entregue a seu pai Steve Michalek. Ele marcou a história da WWE por ser o mais novo a entrar no Hall da Fama, aos 8 anos.
  • Crédito: Divulgação
    2016: Joan Lunden – Mais conhecida por comandar o “Good Morning America”, da ABC, entre 1980 e 1997, a apresentadora recebeu o Warrior Award por ser uma sobrevivente do câncer de mama. Além do prêmio, Joan é a responsável pela parceria entre a WWE e o instituto Susan G. Komen, que arrecada fundos para a cura da doença.
  • Crédito: Divulgação
    2017: Eric LeGrand – Ex-jogador de futebol americano universitário que ficou tetraplégico em um jogo de 2010. Mesmo paralisado do pescoço para baixo, o garoto de 20 anos não desistiu. Após os médicos afirmarem que não teria seus movimentos de volta, LeGrand recuperou os ombros e passou a respirar sem a ajuda de aparelhos. Hoje, dá palestras motivacionais e possui uma ONG que ajuda pessoas com lesões na coluna.
  • Crédito: Divulgação
    2018: Jarrius “JJ” Robertson – Diagnosticado com uma doença no fígado logo após nascer, “JJ” realizou um transplante, mas teve complicações. Seus pais até começaram a organizar seu funeral, só que ele voltou a vida para a surpresa de parentes e médicos. Aos 13 anos, precisou de um novo fígado. E, para isso, decidiu fazer uma campanha pelas redes sociais com o intuito de mostrar como a doação de órgãos pode salvar vidas. A iniciativa chamou a atenção da NFL, da NBA e também da WWE.

Leia mais
Lutador da WWE reúne moradores de rua para almoçar em restaurante chique
Basquete em cadeiras de rodas: prática esportiva que integra e auxilia no dia a dia

© 2017 Todos os direitos reservados - Busca Voluntária - website by: plyn!

Subir