Outubro Rosa: 11 mitos e verdades sobre o câncer de mama

Beatriz Ceschim
25 de Outubro de 2019


Crédito: freestocks.org on Unsplash

O câncer ainda é considerado um tabu. Portanto, as pessoas ainda têm diversas dúvidas sobre o assunto.

A campanha Outubro Rosa busca explorar mais o debate sobre essa doença e sanar as questões sobre o tema. Para esclarecer alguns pontos, o Busca Voluntária conversou com a Maria Fernanda de Oliveira Zerneri, mastologista do IBCC (Instituto Brasileiro de Controle ao Câncer). A profissional respondeu algumas das perguntas mais frequentes sobre o câncer, apontando se eram mitos ou verdades. Confira as respostas a seguir.

Leia mais: Outubro Rosa: saiba mais sobre a campanha de prevenção ao câncer de mama
Outubro Rosa: autoexame e mamografia são aliados do diagnóstico precoce de câncer de mama

Quem menstrua muito cedo ou é mãe depois dos 30 anos tem maior probabilidade de desenvolver a doença?
Verdadeiro. A menarca precoce está associada ao risco aumentado de câncer de mama, devido ao maior tempo de exposição ao estímulo do estrogênio (hormônio). Enquanto a primeira gestação após os 30 anos torna-se fator de risco por um atraso no amadurecimento e diferenciação das células mamárias, facilitando erros na duplicação celular.

Praticar uma atividade física ajuda na prevenção?
Verdadeiro. A prática regular de atividade física atua como fator protetor ao câncer de mama, porque promove a manutenção ou redução do peso corporal, queda da resistência insulínica, melhora do sistema imunológico e diminui a inflamação crônica no organismo.

Próteses de silicone podem causar câncer?
Mito. Até o momento não existem evidências científicas da associação de implantes mamários como causa do câncer de mama.

Homens podem ter câncer de mama?
Verdadeiro. Os homens podem desenvolver câncer de mama. Entretanto, os casos da doença em indivíduos do sexo masculino são raros e representam menos de 1% dos casos de câncer de mama, relatados em todo mundo.

A amamentação ajuda a prevenir o câncer de mama?
Verdadeiro. A amamentação é fator protetor, pois a mulher tem uma pausa na ovulação. Por isso, há uma diminuição na produção de hormônios e o amadurecimento do tecido mamário.

Tratamento hormonal ajuda na cura de tumores na mama?
Verdadeiro. Os tumores de mamas, receptores de hormônios positivos (estrógeno e/ou progesterona), possuem benefícios no tratamento com hormonioterapia específica para cada faixa etária.

Mulheres com seios menores têm menos chances de desenvolver câncer de mama?
Mito. O tamanho mamário não interfere no desenvolvimento do câncer de mama.

Pessoas obesas ou sedentárias têm maior probabilidade de desenvolver um câncer de mama?
Verdadeiro. O ganho de peso e o acúmulo de gordura corporal, juntamente com o sedentarismo, promovem o aumento dos níveis dos hormônios sexuais (estrógeno e progesterona) circulantes, principalmente nas mulheres pós menopausa, aumentando risco de desenvolver câncer de mama.

Câncer de mama só aparece em quem tem histórico familiar?
Mito. Sabe-se que histórico familiar aumenta o risco de desenvolver câncer de mama, principalmente em familiares de primeiro grau (pai, mãe, irmã, irmão, filho, filha), porém qualquer pessoa pode desenvolver a doença. A ocorrência do câncer de mama na maioria das vezes são esporádicos e não hereditários.

Se a pessoa só fizer o autoexame, ela não precisa realizar outros exames?
Mito. O autoexame é uma ferramenta importante para auxiliar no diagnóstico de lesões palpáveis na mama, porém a mamografia é o método de rastreamento do câncer. Esse teste é capaz de identificar lesões muito pequenas, favorecendo o diagnóstico da doença em estágios iniciais, promovendo o aumento da sobrevida da paciente.

A mamografia só deve ser realizada a partir dos 40-50 anos?
Verdadeiro. O rastreamento mamográfico deve ser iniciado aos 40 anos de idade, e realizado anualmente. O rastreamento antes dessa idade é realizado para mulheres com alto risco para desenvolver a doença. São, normalmente, as que possuem familiares de primeiro grau com diagnóstico de câncer de mama antes dos 50 anos. Nesse caso, é preconizado iniciar o rastreamento 10 anos antes do diagnóstico familiar, com início mínimo aos 25 anos.

Veja também 21 filmes sobre o câncer, para saber mais sobre essa doença.

  • Crédito: Divulgação
    Laços de Ternura (1983)
  • Crédito: Divulgação
    Tudo Por Amor (1991)
  • Crédito: Divulgação
    Lado a Lado (1998)
  • Crédito: Divulgação
    Um Amor Verdadeiro (1998)
  • Crédito: Divulgação
    Outono em Nova York (2000)
  • Crédito: Divulgação
    Doce Novembro (2001)
  • Crédito: Divulgação
    Uma Lição de Vida (2001)
  • Crédito: Divulgação
    Um Amor Para Recordar (2002)
  • Crédito: Divulgação
    Minha Vida Sem Mim (2003)
  • Crédito: Divulgação
    Antes de Partir (2007)
  • Crédito: Divulgação
    Uma Prova de Amor (2009)
  • Crédito: Divulgação
    Biutiful (2010)
  • Crédito: Divulgação
    Toda Forma de Amor (2010)
  • Crédito: Divulgação
    Cartas para Deus (2010)
  • Crédito: Divulgação
    50% (2011)
  • Crédito: Divulgação
    Pronta Para Amar (2011)
  • Crédito: Divulgação
    Inquietos (2011)
  • Crédito: Divulgação
    Agora e Para Sempre (2012)
  • Crédito: Divulgação
    A Culpa é das Estrelas (2014)
  • Crédito: Divulgação
    Já Estou com Saudades (2015)
  • Crédito: Divulgação
    Perfeita para Você (2018)

© 2017 Todos os direitos reservados - Busca Voluntária - website by: plyn!

Subir