Categorias

Como manter uma alimentação saudável para o coração

Da Redação
2 de Junho de 2021


Crédito: Divulgação
Como manter uma alimentação saudável para o coração

Muitos ingredientes consumidos nas refeições do dia a dia podem ajudar a evitar riscos de doenças cardiovasculares. Juliano Burckhardt, membro Titular da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN) e da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), separou seis dicas importantes para quem quer manter uma alimentação saudável para o coração.

Leia mais: 16 alimentos que podem auxiliar a prevenir doenças
40 perfis sobre alimentação saudável para seguir no Instagram

Alimentação saudável para o coração

1. Dietas podem variar

Alguns tratamentos funcionam para determinadas pessoas, mas não trazem resultados para outras. Segundo Juliano, o mesmo princípio se aplica ao plano aliementar. Por isso, é preciso encontrar a dieta que mais funciona para você e não desanimar caso algum regime não traga o resultado esperado.

2. É preciso gostar dos alimentos

“Não agimos bem quando nos sentimos privados. Se você está comendo alimentos que não gosta, está se preparando para o fracasso”, destaca Juliano. “Encontre um estilo de dieta saudável que você adore e que corresponda às suas preferências”, diz o médico nutrólogo.

Quer fazer trabalho voluntário? Clique aqui e encontre um com a sua cara

3. Evite alimentos altamente processados

Ingredientes altamente processados são os principais contribuintes para fatores como obesidade, diabetes e epidemias de hipertensão. “Existem várias definições, mas o que caracterizamos como alimentos processados são aqueles industrializados, geralmente ricos em açúcares adicionados (como xarope de milho com alto teor de frutose), grãos refinados (por exemplo, farinha branca ou arroz branco) ou ingredientes químicos que realçam o sabor a fim de torná-los hiperpalatáveis”, conta o especialista. Ele ainda ressalta que é preciso tomar cuidado com opções classificadas como fit, light, zero e diet, que podem ter menos calorias, mas um maior teor de produtos químicos adicionados.

A dica é minimizar ou eliminar alimentos altamente processados, carnes processadas e comidas fritas. O profissional explica que cortar esses ingredientes por um período de tempo (por exemplo, de uma semana a um mês) pode ajudar a redefinir as papilas gustativas e, consequentemente, colaborar para que a pessoa tenha mais facilidade na hora de manter uma alimentação saudável para o coração

4. Coma vegetais 

Vegetais e folhas devem ser uma grande parte da dieta. “Isso não significa que você precisa ser vegetariano, mas o simples ato de colocar esses ingredientes na maioria das refeições pode fazer maravilhas pela saúde do seu coração”, diz o profissional.

Precisa de voluntários para sua ONG? Clique aqui, cadastre sua entidade e publique sua

5. Tamanho da porção

O tamanho da porção é um fator muito importante. Até as comidas mais saudáveis devem ser consumidas em quantidades adequadas.

“Reduza o ritmo, coma com atenção e sirva as refeições em pratos menores. Inclua fibras, gorduras boas e proteínas magras, pois a digestão é mais lenta. Essas são estratégias comprovadas para diminuir a quantidade de comida sem sentir que está com fome”, comenta Juliano.

6. Coma em casa

Segundo uma pesquisa publicada no Journal of the Academy of Nutrition and Dietetics em março deste ano, o hábito de comer fora de casa com muita frequência está significativamente associado ao aumento de risco de morte por diferentes causas, incluindo a cardiovascular. Para o especialista, os benefícios de cozinhar o próprio alimento são indiscutíveis. Ele recomenda que as pessoas adicionem ingredientes nutritivos e de boa qualidade às receitas preparadas em casa.

 

© 2021 Todos os direitos reservados - Busca Voluntária - website by: plyn!

Subir