Grupo de veterinários une peças de brinquedo e criar prótese para tartaruga

Da Redação
26 de Abril de 2019


Crédito: Photo credit: Ma.Gia. on Visual hunt / CC BY-NC-SA

O Hospital Veterinário de Uberaba (MG) usou peças de brinquedo para ajudar uma tartaruga a voltar a andar. O veterinário Cláudio Yudi e os alunos do curso de medicina veterinária da Universidade de Uberaba foram os responsáveis por cuidar do bichinho e garantir que ele andasse sem problemas.

Leia mais: HBO lança ferramenta de acessibilidade no Brasil
Cachorro cego ganha seu próprio cão-guia

O cágado-de-barbicha, batizado de Michelangelo, chegou ao centro veterinário após ser resgatado pela Polícia Militar Ambiental. Ao perceber que o bicho não tinha as duas patas traseiras, a equipe não sabia o que fazer. “Como não conhecemos o caso, a possibilidade maior é que o animal tenha nascido sem as pernas. Por isso, nós tivemos dificuldades para encontrar o que poderia substituir a falta dessas patas”, explica Cláudio.

Divulgação
Peças coladas com resina na carapaça do cágado Michelangelo

 

Para solucionar esse problema, o grupo decidiu colocar próteses feitas de brinquedo na carapaça da tartaruga. Eles utilizaram resina, uma cola específica que pode ser usada em animais e seres humanos, para colar as peças ao corpo do animal.

De acordo com o veterinário, Michelangelo se adaptou bem à mudança. “As tartarugas, em especial, conseguem se adaptar muito bem a próteses, nós já tivemos experiências positivas com outros animais”, conta. Cláudio também explica que o cágado continuará no hospital, porque seria perigoso para ele voltar à natureza.

Divulgação
Professor e médico, Cláudio Yudi, e seus alunos de medicina veterinária da Universidade de Uberaba (MG)

 

Além da tartaruga, o hospital veterinário já colocou próteses em outros animais. No total, foram oito bichos, desde corujas, jabutis, cágados e até um lobo guará.

© 2017 Todos os direitos reservados - Busca Voluntária - website by: plyn!

Subir