Dia da Lontra: projeto realiza ação para homenagear a espécie

Beatriz Ceschim
28 de Maio de 2019


Crédito: Imagem de Erik Stens por Pixabay

Em 29 de maio é celebrado o Dia Internacional da Lontra e no dia 30, o Dia Nacional da espécie. Por isso, maio é conhecido como o mês desses bichinhos. Para marcar a data, o Projeto Lontra, do Instituto Ekko Brasil (IEB), promoveu atividades especiais durante o mês. Nos dias do animalzinho, o programa fará ações como jogos, brincadeiras voltadas às crianças e distribuição de brindes.

Leia mais: 40 amizades improváveis do reino animal
Confira 35 projetos que defendem a causa animal

O projeto trabalha com a conservação animal, sustentabilidade e pesquisa. A iniciativa cuida da recuperação e preservação da lontra neotropical e ariranha. O programa trabalha nos biomas Mata Atlântica e Pantanal, com sede em Santa Catarina e Mato Grosso do Sul.

Turismo de Conservação

Um dos métodos utilizados pelo projeto para cuidar dessas espécies é o turismo de conservação. De acordo com a presidente do IEB, Alessandra Bez Birolo, o objetivo dessas atividades é promover a participação do turista em ações a favor de conservar a biodiversidade. Além de mobilizar a sociedade por meio da educação ambiental.

Lontra, ariranha e membros da Família Mustelídeos

Além da lontra neotropical e da ariranha, o projeto resgata e cuida de outros bichinhos da família mustelídeos (mustelidae), como a irara, o furão e a doninha amazônica. Os animais desse grupo são de pequeno porte, têm pernas curtas, cauda de tamanho médio, corpo alongado, orelhas arredondadas e focinho afilado. Eles são encontrados em todos os continentes. Confira algumas informações de cada espécie:

Irara: Animal onívoro, alimenta-se, geralmente, de frutas, insetos, mel, pequenos vertebrados, aves, pequenos mamíferos (roedores, lagomorfos e primatas) e, algumas vezes, mamíferos de maior porte, como a preguiça. No Brasil, é encontrado na Mata Atlântica, Amazônia, Cerrado e Caatinga.

Furão: São divididos em furão-grande e furão-pequeno. Ambas as espécies costumam se alimentar de frutos, ovos, roedores, aves, répteis, anfíbios, peixes e invertebrados. O furão-grande é encontrado na Bacia Amazônica. Já o furão-pequeno está em diversos estados brasileiros, presente na Mata Atlântica, no Pantanal, na Caatinga, nas Pampas e no Cerrado.

Doninha amazônica: Alimenta-se de coelhos, lebres e roedores. No Brasil, está localizado na Bacia Amazônica, mais especificamente nos estados do Acre, Amazonas e Pará.

Ariranha: Também conhecida como lontra gigante. Sua dieta é composta basicamente de peixes, mas pode alimentar-se de pequenos mamíferos, aves, répteis e, eventualmente, invertebrados. Trata-se de uma espécie vulnerável, sofrendo com destruição do habitat, superexploração da pesca, contaminação dos corpos d’água e caça ilegal. No Brasil, distribui-se amplamente, desde o Rio Grande do Sul até a Amazônia, vivendo nos biomas Amazônico, Pantanal, Cerrado e Mata Atlântica.

Lontra: A responsável pela celebração no mês de maio, alimenta-se de peixes e crustáceos. Outros grupos de vertebrados, invertebrados e até frutos podem fazer parte de sua dieta. No Brasil é encontrada nos biomas Amazônico, Cerrado, Pantanal, Mata Atlântica e Pampa.

Imagens de lontras e lontras-marinhas

Confira também um álbum com fotos fofinhas de lontras e lontras-marinhas.

  • Confira neste álbum fotos de lontras e lontras-marinhas

Crédito das imagens: VisualHunt, Pixabay e Unsplash.

© 2017 Todos os direitos reservados - Busca Voluntária - website by: plyn!

Subir