Dia Mundial da Gratidão: entenda como o ato pode ajudar no dia a dia

Da Redação
28 de Setembro de 2018


Crédito: VisualHunt.com

*Por Gaya Machado

Uma rotina agitada pode não ser a mais favorável para palavras de carinho, momentos de compreensão e empatia. Esse cenário também pode contribuir para que você esqueça as coisas boas ao seu redor. No Dia Mundial da Gratidão, celebrado na semana passada (21 de setembro), lembrar de dizer “muito obrigado” pode melhorar a vida de cada um.

A psicologia positivista aponta que separar cinco minutos para listar itens e agradecer, durante a noite, pode ajudar. A ação pode fazer com que a pessoa tenha pensamentos positivos e foque no sucesso, com base em coisas simples que já estão no cérebro.

Leia mais:

SAIBA COMO RECONHECER E BUSCAR AJUDA PARA ANSIEDADE E DEPRESSÃO

ÁLBUM: 10 FILMES COM HISTÓRIAS INSPIRADORAS PARA A VIDA

Cobrança em excesso sobre si mesmo e o desejo de atingir a perfeição podem contribuir para que cada um esqueça, aos poucos, o que é bom. Ninguém consegue acertar o tempo inteiro e, quando se reconhece isso, passa-se a enxergar os erros e as falhas como uma oportunidade de aprendizado. A neurociência explica que o cérebro trabalha melhor quando tem um perfil positivo. Esse fator libera aos neurotransmissores a serotonina e dopamina, deixando as pessoas mais criativas, animadas e dispostas.

O ato de agradecer pode parecer pouco, mas também pode ser um lembrete da quantidade de coisas boas que se tem ao redor. Um estudo de 2012 realizado na Universidade de Kentucky mostrou que quanto mais gratos os participantes eram, menos nervosos ficavam ao receber uma crítica ou uma ofensa.

Estudos de 2006 feitos pela Behavior and Reseat Therapy com veteranos da Guerra do Vietnã mostraram que quando eles focavam as tensões em ajudar o próximo, o pós-traumático de tudo o que aconteceu era bem menor. O ato de agradecer, de enxergar o lado bom nas pequenas coisas, é muito benéfico para a saúde física e mental. Diminui o estresse e a agressividade.


*Gaya Machado é psicoterapeuta

© 2017 Todos os direitos reservados - Busca Voluntária - website by: plyn!

Subir