Covid-19 pelo mundo: “estamos melhorando aos poucos”, diz morador de Bréscia

Maria Beatriz Vaccari
23 de Abril de 2020


Crédito: Foto: Divulgação/Arquivo Pessoal

Nas últimas semanas, o mundo inteiro acompanhou as dificuldades da Itália na luta contra a pandemia da covid-19. Com o sistema de saúde sobrecarregado, o país já registrou mais de 24.500 óbitos (até o fechamento desta reportagem), segundo dados da Universidade Johns Hopkins.

Quer ganhar um e-book exclusivo com dicas de viagem? Assine nossa newsletter neste link.

No terceiro episódio da série Covid-19 pelo mundo, o médico aposentado italiano Renato Martinelli fala sobre o cenário da pandemia na Itália. Ele e a esposa, Vilma Caraffini, moram na Lombardia, região do país mais afetada pelo vírus. 

Divulgação/Arquivo Pessoal
Renato Martinelli e Vilma Caraffini

Covid-19 pelo mundo: Bréscia

“Vivemos na comuna de Bréscia. Estamos no centro do problema. Entretanto, a situação está melhorando aos poucos”, explica Martinelli, que tem 70 anos. Bréscia é uma das principais cidades da Lombardia e uma das mais afetadas pelo vírus no país, depois de Bérgamo, que também fica na região.

As mudanças no estilo de vida das pessoas que moram nesse trecho do norte da Itália foram drásticas. “Não podemos sair de casa, a não ser que for extremamente necessário. As estradas estão sendo fiscalizadas pela polícia e pelo exercito. De vez em quando, durante o dia, eles também usam drones e helicópteros para checar a movimentação da área”, afirma Martinelli. “É como se, pela primeira vez na vida, estivéssemos vivendo em uma prisão”, completa o italiano.

Entre os obstáculos enfrentados pela população italiana, o médico aposentado ressalta ainda a impossibilidade de levar cachorros grandes para tomar banho em locais especializados. Isso sem contar o aprendizado na convivência 24 horas por dia com esposas, maridos e outros familiares. “As pessoas que vivem sozinhas por opção também estão lidando com os problemas da solidão”, diz. 

O italiano acredita que, por algum tempo, o contato social irá diminuir, mas aposta que a pandemia não mudará radicalmente a vida das pessoas. “A humanidade não aprende nada com a história e, com o passar do tempo, tudo isso deve ser esquecido”, finaliza.

Leia mais: Covid-19: quando devo usar máscara de proteção?
Coronavírus: cartilha leva orientações para quem tem doença rara

Covid-19 pelo mundo: série de entrevistas 

O Busca Voluntária e o Rota de Férias estão conversando com pessoas de todo o planeta para saber como o coronavírus está afetando a realidade de suas cidades. Confira os outros capítulos da série:

Capítulo 1: COVID-19 PELO MUNDO: ADVOGADA RELATA O DIA A DIA NA CIDADE DO MÉXICO
Capítulo 2: COVID-19 PELO MUNDO: BRASILEIRA CONTA COMO ESTÁ A VIDA EM SANTIAGO

Fotos: série Covid-19 pelo mundo do Busca Voluntária e Rota de Férias 

  • Pixabay
    Covid-19 pelo mundo: advogada relata o dia a dia na Cidade do México - https://bit.ly/2xKLkj5
  • Photo by Guillermo Pérez on Unsplash
    Covid-19 pelo mundo: advogada relata o dia a dia na Cidade do México - https://bit.ly/2xKLkj5
  • Photo by Andrea Leopardi on Unsplash
    Covid-19 pelo mundo: advogada relata o dia a dia na Cidade do México - https://bit.ly/2xKLkj5
  • Jeffrey Eisen on Unsplash
  • Caio Silva on Unsplash
  • Ximena Nahmias on Unsplash
  • Pixabay
    Covid-19 pelo mundo: "estamos melhorando aos poucos", diz morador da Lombardia - https://bit.ly/2VTXka2
  • Pixabay
    Covid-19 pelo mundo: "estamos melhorando aos poucos", diz morador da Lombardia - https://bit.ly/2VTXka2
  • Pixabay
    Covid-19 pelo mundo: "estamos melhorando aos poucos", diz morador da Lombardia - https://bit.ly/2VTXka2

© 2017 Todos os direitos reservados - Busca Voluntária - website by: plyn!

Subir